Porque bloggar não é fácil?

Este post é off topic, não está relacionado aos temas normalmente discutidos no blog

Blogar é algo que vem se tornando comum, e quase que mensalmente vejo um novo blog falando sobre teste de software. Acredito que toda a vontade de compartilhar conhecimento é válida e nunca deve ser criticada, afinal, todos temos experiências diferentes e em algum ponto um estagiário pode ver algo que o mais experiente e certificado profissional nunca tinha pensado, mas é muito importante tomar cuidado com algumas coisas antes de sair blogando.

Vou tentar expor os principais pilares que me guiam hoje quando vou postar alguma coisa nova e que foram descobertos com muitos erros nos meus posts passados.

Tema interessante

A busca de um tema interessante é a primeira fase de um post de sucesso. Ela pode partir de vários pontos, um problema que você vê na sua empresa, em você ou mesmo na sua comunidade técnica, pode ser algo que queira estudar mais, pode ser um detalhe técnico que ajude a solucionar problemas, pode ser um questionamento ou comentário em listas, emails ou mesmo um outro blog post que te inspirou. Enfim, o que não faltam são motivos para blogar. O importante é que esse ponto de partida seja algo alinhado com o que você pratica, ou algo que será muito bem estudado.

Também não é bom que esse tema seja algo muito particular ou com universo muito restrito pois será compartilhado e deve despertar o intreresse dos leitores, mas também não é bom que seja algo que não te desperta interesse e que será feito só porque acredita que o público quer ler isso. Se isso acontecer, provavelmente não te adicionará quase nada novo e você não vai dar muito de sí para esse post. O equilíbrio é algo que você domine, goste, esteja apto a estudar agora e que de alguma forma influencie positivamente na comunidade técnica.

O tema também não deve ser algo totalmente novo para você, pois facilmente pode cometer erros ou deixar lacunas, e isso pode impactar negativamente nos leitores, mas vamos falar disso um pouco mais a frente como parte da Responsabilidade de um bloger.

Responsabilidade, Ética e Imparcialidade

Esse é o campeão no quesito “blogs que o Camilo não lê”. Quando blogamos, temos que saber que existem realidades muito diferentes das nossas e que nossa experiência, por maior e mais vasta que seja, não engloba todo o conhecimento de um determinado assunto, ainda mais um assunto tão discutido e mutável como software.

Quando falamos imparcialidade, falamos que devemos saber buscar outros pontos de vista, diferentes dos nossos, das nossas empresas e das nossas referências e herois. Por mais que sejamos especialistas em determinado assunto, que tenhamos visto isso funcionando de um jeito ou que nossos seniores descrevam que esse é o melhor jeito de fazer as coisas, quando blogamos temos que saber que muita gente vai ler isso e que possivelmente tem uma opinião diferenciada, principalmente se não formos imparciais. Essas pessoas podem olhar a imparcialidade como xiitismo, arrogância, prepotência ou mesmo preconceito do blogueiro, e isso pode manchar a sua imagem com a sua comunidade local. Claro que as vezes devemos ser um pouco mais firmes quando advogamos por algo que acreditamos com plena convicção, só vamos estar abertos a escutar os argumentos antes de criticar, e claro, contra argumentar se necessário. Não existe problema em discutir um assunto com firmeza, desde que não sejamos desrespeitosos com nossos colegas de profissão.

A ética é necessária em todos os aspectos. Ninguém cresce sem ser ético, a menos que esteja na política, que felizmente não é o nosso caso. A ética para um blog, no meu ponto de vista, é algo bem simples. Use as suas ideias e as ideias de outras pessoas, mas dando o devido crédito a essas pessoas. Respeite os outros blogueiros e entenda que eles passam pelos mesmos problemas e dificuldades que você. Respeite a privacidade de outras empresas e pessoas, exposições a situações desconfortáveis não é algo agradável de se ler. Tenha compromisso com a verdade, se escrever algo sabendo que conseguirá persuadir outras pessoas em benefício próprio ou de outros, independente do motivo, não o faça. É simples, seu blog está aqui para te ajudar a evoluir e para compartilhar essa evolução, evite que ele cause qualquer dano e, muito importante, se alguma pessoa se sentir lesada, plagiada ou alegar um dano de qualquer natureza com algo escrito no seu blog, converse e resolva esse problema.

Quando falamos responsabilidade, falamos que um blog vai muitas vezes mudar a maneira como vários leitores veem um assunto. Em teoria, se você está escrevendo é porque você domina desse assunto ou pelo menos tem uma experiência diferenciada nele, e pode facilmente ser visto como uma referência ou por vezes, como um quase guru no assunto. Você passa a ser um influenciador e muitas pessoas podem simplesmente aceitar o que está escrito e isso é uma grande responsabilidade. Plagiando o bom e velho Tio Ben (e o mestre Stan Lee), “Grandes posts, grandes responsabilidades”. Devemos ter muito cuidado para não escrever sobre assuntos que, embora achemos legais, inovadores e estejam na moda, não dominamos com segurança o suficiente para assumir essa responsabilidade. Se escrevemos alguma coisa muito errada, pessoas iniciantes podem se guiar por elas e consequentemente fazer/aprender errado e pessoas mais experientes podem nos achar uma pessoa sem conhecimento/experiência.

Pesquisa

Não se engane, a maioria dos posts precisa de uma grande pesquisa. Não estou falando daquelas pesquisas de faculdade onde você copiava algumas linhas do Wikipedia e todo mundo fingia que estava bom. Estou falando de pesquisa de verdade, em livros, outros blogs, com os colegas, em redes sociais, em vídeos, em código e projetos entre outras fontes. Pesquisas de virar a noite e pesquisas que vão te mostrar que você fez algo errado durante muito tempo sem se quer perceber. Aqui está um grande diferencial do profissional que escreve para um blog de sucesso. A pesquisa continua faz com que um post fique muito bom e que você aprenda muito mais sobre o tema.

O meu último blog post “A vida de um agile tester – Part I” por exemplo, que fala sobre algo que eu faço todos os dias a mais de um ano e meio e ainda mais intensamente nos ultimos dez meses, é um post que começou a ser escrito no dia 1 de Dezembro de 2011 e teve 61 edições antes de ser publicado no dia 05 de Abril (mais de quatro meses pesquisando, revisando e questionando). Claro que eu poderia escrever algo simplesmente ignorando que existem muitas outras formas de fazer aquilo, que eu poderia simplesmente escrever de qualquer jeito e que eu poderia escrever sem referências, mas não seria um post com metade do valor que esse post tem para o leitor e não seria um post que não acrescentaria nada para a minha experiência. A pesquisa é algo realmente muito necessário para escrever bons posts.

Texto Completo, Claro, Correto e Didático

Não adianta nada saber sobre o assunto, realizar uma larga e vasta pesquisa e ser imparcial sobre um tema fantástico, se você não souber como tornar isso simples e dispor as ideias de uma maneira elegante e didática. Definitivamente aqui se esconde um dos maiores desafios para tornar o blog atraente.

Completo porque o texto deve refletir tudo o que o leitor precisa saber sobre esse assunto, claro porque ele deve ser fácil de ler mesmo com todos os termos e expressões que temos na área de desenvolvimento, correto pois erros de português podem passar uma ideia de desleixo ou falta de profissionalismo e didático pois o blog tem como objetivo ensinar. É importante também que o texto tenha foco no assunto e seja conciso o suficiente para que informações secundárias não sejam necessárias, evitando assim textos gigantescos sem necessidade.

Nenhum dos quatro itens é mais importante que o outro, eles se complementam e pecar em algum deles significa ter um texto que não vai fidelizar o leitor, ou pior, não vai ajudar o leitor no que ele procurava. Se isso acontecer não é só a frustração do leitor e do blogueiro, mas todas as horas de uma ótima pesquisa podem não ter valido a pena.

É bom comentar que blogers normalmente não são remunerados e não tem uma equipe de editores e revisores para dar suporte. Por isso facilmente erros podem passar ou mesmo algum conteúdo pode ficar dúbio ou incompleto. Claro que existem maneiras de amenizar isso como solicitando revisão a um amigo ou mesmo outro blogueiro, mas nem sempre existe uma pessoa disponível para essa revisão. Um blogueiro consciente relê o post pelo menos dez vezes antes de publicar.

Essa é outra das vantagens para um profissional que bloga. Estudar é algo que todos fazemos, ser imparcial e responsável quando se defende um ponto de vista é uma característica comumente adquirida de um profissional senior, mas ter uma grande habilidade para escrever sobre assuntos técnicos de forma didática é algo que pouco aprendemos no dia a dia como QAs, Developers e talvés até BAs e PMs podem ter um pouco de dificuldade. Esse pode ser um dos grandes diferenciais de profissional que bloga, claro, observando esses e outros preceitos.

Referências

Escrever sobre a experiência é totalmente válido, mas quando focamos somente na nossa experiência acabamos negligenciando um pouco a imparcialidade e consequentemente a responsabilidade com o leitor. Buscar referências é algo que todos devemos fazer, pois é uma forma de comparar nosso ponto de vista e experiências com de outras pessoas que muitas vezes são muito mais experientes que nós. Também não é vergonha nenhuma se inspirar em outro post, em uma frase, em um livro ou em algum comentário para escrever um post, claro que dando os devidos créditos e referenciando os autores como citado anteriormente. Estender um assunto importante de outro autor ou blogueiro é tão honrado quando escrever algo novo ou original. Em alguns casos é algo até mais necessário para o público do que um assunto original.

Claro que um blog não é um artigo cientifico, com padrões e regras, por isso a referência pode ser uma simples citação ou mesmo um link para uma página de internet. Caso o referenciado solicite uma referência mais sofisticada, atenda-o :)

Buscar Feedback Real e Rápido

Nós temos dois problemas antagônicos muito graves na nossa comunidade de QA.

Ausencia de Feedback negatívo: Não estamos acostumados a dar um feedback negativo através de críticas construtivas, mesmo que em off. Isso é muito ruim, pois quando vemos um post que está com algum problema simplesmente não falamos com o autor. O feedback negativo é algo necessário para quem está blogando melhorar como blogueiro e como profissional. Recomendar mudar alguns termos, a abordagem do blog, o conteúdo ou mesmo a linguagem usada pode ajudar muito uma pessoa a evoluir.

Feedbacks negatívos públicos e desnecessários: Outros já tem o hábito de sair criticando (ou agredindo) publicamente os colegas de trabalho e vemos isso com uma frequencia muito maior do que eu gostaria em listas de discussão. Quando isso começa a  acontecer, uma guerra de ego é formada e acabamos não criticando de uma forma construtiva, mas como uma tentativa de denegrir uma pessoa. Ainda sobre esse ponto, raramente a pessoa que comete esse tipo de atribuição tem a decencia de pedir desculpas para a pessoa agredida nem para o grupo.

Existem dezenas de maneiras de se conseguir um feedback rápido e sincero dos leiotes. A mais classica é pedindo, mas eu acredito muito que um feedback “coletado” é tão importante quanto um feedback dado.  Não sou nenhum especialista nisso, mas tenho coletado feedback de várias maneiras e estou conseguindo me adaptar ao que os leitores me retornam, mesmo que não tão rápido. Eu por exemplo tenho alguns utilitários e plugins que me ajudam com essa difícil tarefa:

  • Tag Cloud: Posso ver quais as tags mais acessadas
  • Pesquisa: Termos mais pesquisados
  • Ratings para posts: Feedback anônimo sobre o post de forma genérica e imprecisa
  • Comentários: Feedback uma forma mais direta e precisa sobre o assunto do post
  • Mais Lidos: funciona como um termômetro para saber o que os leitores lêem de fato
  • Pesquisa de assuntos: Ajuda a descobrir o subset entre o que os leitores querem ler e o que está faltando no blog
  • Próximos posts: Ajuda em um feedback mais rápido pois é um post ainda em construção
  • Google Analytics: Tempo que os leitores ficaram em cada página, retorno, principais termos
  • RSS e redes sociais: Ajudam a avaliar o crescimento dos leitores.

Claro que nenhuma das ferramentas nos fornece informações completas separadamente, mas juntas elas me ajudam muito a decidir como escrever um post. Por exemplo, recebi muitos comentários dizendo que os meus posts são muito grandes, mas curiosamente os meu post mais lido é o Especial: TestLink 1.9, post mais longo, com maior tempo de permanência, mais comentado e com um ótimo rating. Outro ponto interessante é que embora “Tutoriais TestLink” esteja em quarto lugar no ranking da pesquisa de opinião, ele mantém três dos dez posts mais lidos no topo, e tem mais de um ano que eu não publico nada sobre TestLink. E que embora “Testes Automatizados” estejam em primeiro lugar na pesquisa, ele mantem três posts entre os dez primeiros, mas todos eles depois dos três posts sobre TestLink. Claro que isso se deve a ausencia de posts sobre TestLink em português e inclusive em outras linguas, ja que recebo muitos comentários e visitas de norte-americanos, portugueses, bolivianos entre outros países da América do sul e Europa, mas como eu comentei anteriormente, hoje isso não me parece uma boa abordagem e não me acrescenta tanto conhecimento quanto antes, então neste caso, eu devo ir contra os feedbacks positivos que tenho recebido nesse ponto.

Claro que estou melhorando os próximos posts sobre automação e pretendo fazer com que eles tomem esse lugar que hoje pertence ao TestLink pela qualidade e atratividade, mas isso envolve muito trabalho e pesquisa com os leitores mais participativos, estudo da comunidade, análise dos posts atuais etc. Desafio aceito e procedimentos iniciados :)

O Google Analytics é um amigo incondicional do blogueiro. Ele consegue um conjunto gigantesco de informações, desde o tempo que cada visitante ficou no blog, em quais posts ele navegou, quais termos o google usou para trazer um visitante até o blog, quantos visitantes o blog teve no dia em que um novo post foi publicado, quantos acessos teve depois de uma thread barulhenta no DFTestes etc

Motivação e Visão

Por último, mas não menos importante. Quando se bloga, qualquer pessoa pode ler. Qualquer pessoa pode pensar o que quiser e consequentemente qualquer pessoa pode te criticar. Não é fácil receber um comentário muito negatívo de uma ou mais pessoas em um post que você gastou horas, dias ou até meses escrevendo.  Isso faz parte. As críticas viram, algumas vezes de pessoas que não entendem o que estão falando e muitas vezes de pessoas que estarão certas e vão mudar o teu ponto de vista. Vão te mostrar que você estava errado e que toda a pesquisa valeu a pena, porque agora, com a ajuda dessa pessoa, você entende o assunto que foi discutido de um outro ponto de vista.

Na maioria das vezes, um blogueiro é alguém que estuda mais e/ou está mais envolvido com a comunidade do que um profissional que não costuma blogar. Isso não acontece 100% das vezes, mas eu vejo muitas pessoas que começaram a blogar e evoluíram de forma extraordinária em poucos anos. Eu mesmo percebo o quanto o blog me ajudou a evoluir e recebo feedbacks de amigos e incentivos do tipo “Continue blogando, isso faz muito bem pra você”. Não vou mentir que algumas vezes o desanimo toma conta, que da vontade de desistir e que não consigo ver tanta mudança quanto eu gostaria. . . Mas sempre que recebo um comentário de alguém falando “Você ajudou a resolver um problema na minha empresa, muito obrigado e parabéns pelo post!” eu fico muito feliz. O mesmo quando eu vejo o quanto eu me cobro para postar conteúdo de qualidade e o quanto eu tenho aprendido com o Bug Bang.

Sei que fatalmente vai chegar um momento em que o Bug Bang vai mudar para inglês e não sei precisar o quão próximo isso está. Eu hoje tenho 81 posts iniciados em português e 58 publicados com esse, e muitos deles vão evoluir e ser publicados ainda esse ano e isso ainda me mantém muito ocupado. Espero que esse post.

Apesar de off topic, possa ajudar algém que está pensando em blogar ou que eu possa receber comentários ou feedbacks de itens que eu esqueci. No mais, obrigado por ler este post :)

Camilo Ribeiro

Test Engineer at Klarna
Desenvolvedor, testador e agilista desde 2005, atualmente trabalhando na Suécia.

One thought on “Porque bloggar não é fácil?

  1. Mais um post, com mais um excelente conteudo. Foi muito inspirador pra mim, por volta e meia me vejo com vontade de criar um blog, mas me falta ter o que dizer. Com certeza estas dicas que você passou serão muito úteis para que eu possa criar um blog que se for 10% de sucesso do que o seu é, já estarei satisfeito.
    Abraços e aguardo ansioso os proximos posts que irão sair, que você listou na coluna a direita.
    Rogerio

Leave a Reply